As 5 Mais Mágicas Praias de Florianópolis

As 5 Mais Mágicas Praias de Florianópolis

Ao escolher um destino apelidado de “Ilha da Magia”, além das roupas, viajei com a mala cheia de expectativas. A capital de Santa Catarina não só não me decepcionou, como me enfeitiçou com os cenários realmente mágicos de suas praias, morros e a famosa Lagoa da Conceição. Confira as dicas da Mag e descubra quais praias de Florianópolis me conquistaram mais e não deixe esses paraísos fora do seu roteiro!

Viaje para Floripa com descontos na hospedagem

Apaixone-se pelas melhores praias de Florianópolis

floripa-zarpo-magazine

Banhada por um mar azulado de águas cristalinas, a ilha tem praias maravilhosas, mas é na Costa Leste que estão as 5 mais encantadoras. Voltadas para o Oceano Atlântico, as praias são banhadas por ondas fortes que fazem a alegria dos surfistas. Além da prática do esporte, os cenários são paradisíacos, agradando também quem prefere praias mais selvagens e com a natureza preservada. Esse top 5 conta com algumas das mais famosas praias de Florianópolis, mas também tem segredinhos que poucos conhecem. Aproveite as belezas da Ilha da Magia!

1. Galheta: naturismo, surf e paisagens estonteantes

praia-de-galhetas-zarpo-magazineNatália Leme

Para chegar até a Praia de Galheta é preciso percorrer uma trilha com cerca de 300 metros, que começa no canto esquerdo da Praia Mole (a 3ª colocada dessa lista). A trilha não tem grandes dificuldades, mas pode estar bem lamacenta, então prepare-se para melecar os pés e cuidado para não escorregar.

praia-nudismo-zarpo-magazine

Afastada do burburinho da vizinha, a praia não tem nenhuma estrutura e é cercada por cenários selvagens, cobertos por morros, pedras e muita vegetação. Ali, em meio à areia branquíssima e o mar de águas límpidas e agitadas, os surfistas curtem boas ondas e os adeptos do naturismo encontram liberdade para nadar como vieram ao mundo. Diferente de algumas regras seguidas em outras praias de nudismo, tirar a roupa é opcional e homens podem entrar desacompanhados.

A Galheta conquistou o meu primeiro lugar na lista de praias de Florianópolis, pois além da paisagem ser sensacional, frequentei bem cedinho e não havia nenhum banhista, apenas surfistas. Não encontrei ninguém sem roupa, mas não pude resistir a experimentar um mergulho ao estilo “nudes” no canto esquerdo da praia, onde o mar era mais tranquilo e formava uma piscininha. Porque tomar caldo pelada já é de mais, né?!

2. Praia da Joaquina: dunas, altas ondas e agito

praia-joaquina-sc-zarpo-magazine
Uma das mais cobiçadas praias de Florianópolis não ganhou fama à toa. Além do mar azul agitado por ondas fortes que são palcos para campeonatos de surf, as dunas completam a magia. À beira da areia já dá para ver algumas, mas é ao fundo que encontramos um cenário arrebatador composto por dunas de todos os tamanhos, que mudam ao sabor do vento. Algumas são cobertas por vegetação e contam com pequenos laguinhos formados pela chuva, outras te fazem pensar que está em pleno deserto.

dunas-joaquina-sc-zarpo-magazineNatália Leme

De um lado temos ao fundo o mar e do outro a linda Lagoa da Conceição. E, além da beleza surreal, a atração fica por conta da maior duna, de onde é possível deslizar pela areia até a sua base com sandboard (como o snowboard, só que sem neve) e de esquibunda (sentadinha em uma prancha). Não fui corajosa o bastante para encarar descer em pé no sandboard, mas me aventurei no esquibunda. Eu comi bastante areia, mas foi bem divertido! Dica? Não grite! Na praia o movimento é sempre muito grande, o clima é de paquera e há ótimas opções de bares para petiscar.

3. Praia Mole: aventura e badalação

praia-mole-sc-zarpo-magazineNatália Leme

A terceira praia da “Ilha da Magia” que conquistou meu coração divide com a Joaquina o título de uma das mais badaladas praias de Florianópolis. Muito procurada, principalmente por surfistas em busca de ondas perfeitas, o extenso trecho de areia clara e fofa costuma ser frequentada por corpos sarados, jovens e a galera GLS.

O cenário é inspirador, com mar bem azulzinho, muitas formações rochosas no canto esquerdo e morros cobertos por vegetação no direito. Com alguns bares descolados que tocam música, o point para a paquera e curtição fica completo. O mar, no entanto, é para poucos. Além das ondas fortes, longas e do repuxo frequente, é uma praia de tombo, e para encarar um mergulho é bom que o banhista seja um ótimo nadador.

surf-zarpo-magazine

Com essas condições, o mar acaba sendo quase que exclusivo para os surfistas que também aproveitam campeonatos internacionais do esporte. Para se aventurar também pelos ares e sobrevoar essa belíssima paisagem, é possível saltar de parapente da rampa da Praia Mole. E depois que o sol se despede, a diversão não acaba. Os bares à beira mar continuam agitando durante a noite com shows.

4. Praia da Barra da Lagoa: agito, gastronomia e sossego

barra-da-lagoa-zarpo-magazineNatália Leme

A praia tem um charme a mais com seus dois faróis situados nas pedras do canal da Barra da Lagoa, no lado esquerdo da costa. O mar também é de ondas, mas bem mais fracas que nas outras praias citadas e, dependendo do trecho, o banho de mar pode ser aproveitado com mais tranquilidade, inclusive por crianças.

Além do mergulho garantido, as boas opções de bares e restaurantes à beira mar contribuem para o movimento. Nela é possível curtir o dia de mar com cadeiras e guarda-sol, sem pagar taxa, apenas o que consumir. A pedida é experimentar as sequências de camarão, verdadeiros banquetes com os crustáceos servidos em diferentes receitas.

Quem preferir curtir o dia de mar com mais sossego, pode seguir para o lado esquerdo da praia, que, apesar de medir cerca de 600 metros, não tem nenhuma separação da Praia do Moçambique, e dá a impressão de que é uma grande praia só. Quanto mais se caminha para o lado esquerdo, mais os cenários vão ficando desertos e selvagens. Já na área da Moçambique há algumas pequenas dunas e uma floresta lindíssima de pinheiros, pertencente ao Parque Florestal do Rio Vermelho.

5. Prainha da Barra da Lagoa: escondida e calma

barra-da-lagoa-zarpo-magazineNatália Leme

Talvez sem essa dica você nunca encontraria a Prainha, já que ela não aparece na maioria dos mapas de praias de Floripa. Ela nem estava no meu roteiro, até eu receber a dica de uma “manezinha da ilha” (como são chamados os moradores). Para alcançar seu pequeno, porém encantador, trecho de areia banhado por águas cristalinas e com poucas ondas, é preciso atravessar a ponte do Canal da Barra da Lagoa.

Após uma caminhada pelas vielas, já é possível avistar a prainha, cercada por pedras e com a paisagem da Praia da Barra da Lagoa ao fundo. Quem quiser pode continuar a caminhada com mais cerca de 15 minutos por uma trilha leve e chegar às piscinas naturais para um mergulho. A área é cheia de pedras e, dependendo da maré, se forma uma piscina com águas calmas, ótima para mergulhar.

Gostou dessas praias de Florianópolis? Confira também as dicas da Mag com os melhores restaurantes da ilha.



Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *