Caribe + Miami = Cidade do Panamá

Caribe + Miami = Cidade do Panamá

O que vem à sua mente quando o assunto é Panamá? O canal? As compras? O chapéu? Sim, o Panamá é tudo isso, mas tem muito mais. A estreita faixa de terra situada entre os oceanos Atlântico e Pacífico e as Américas do Norte e do Sul, foi palco de muitas histórias ao longo dos séculos e, desde que a companhia panamenha Copa Airlines expandiu os voos para a Cidade do Panamá a partir de São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus, Belo Horizonte, Brasília e Porto Alegre, os encantos do país vem atraindo cada vez mais brasileiros.

Com apenas 7% de impostos sobre o valor dos produtos, shoppings com marcas de luxo em promoções inacreditáveis e centros comerciais que você encontra de um tudo, a Cidade do Panamá é considerada um paraíso das compras. Dizem até que a capital panamenha é a Miami da América Central! A moeda local é a balboa, mas o dólar é aceito em todos os lugares e o inglês é o idioma que mais se ouve, apesar da língua oficial ser o espanhol. E, apesar de toda a americanalização, o Panamá tem um delicioso q de Caribe com praias banhadas pelo mar quente e transparente das Caraíbas.

Viaje com os pacotes internacionais do Zarpo e aproveite ótimos descontos

Um atalho entre o Atlântico e o Pacífico

canal-panama

Lá no século 16, quando o explorador espanhol Vasco Núñez de Balboa percebeu que a distância ente os oceanos Atlântico e Pacífico era curta, teve a genial ideia do canal. A construção começou com os franceses, em 1881, mas estima-se que mais de 20 mil trabalhadores faleceram durante a obra com acidentes e doenças como a febre amarela e a malária.

As obras foram paradas pelos franceses e em 1904 os americanos assumiram o projeto, concluindo 10 anos depois uma das maiores obras da engenharia que facilitou o comércio marítimo internacional. O centenário canal foi inaugurado, oficialmente, em 15 de agosto de 1914 com 77,1 km de comprimento. A travessia dura em torno de 8 a 10 horas e é feira por três eclusas: Miraflores, Pedro Miguel (do lado do Pacífico) e Gatún (do lado do Atlântico).

Famoso, o canal é uma das atrações turísticas de quem viaja à Cidade do Panamá. As três eclusas podem ser visitadas, sendo que na Miraflores os visitantes podem assistir a uma exposição e um filme didático que contam a história do canal, além de ter acesso às varandas de observação.

Compras na Cidade do Panamá

compras-panamaImagem ilustrativa

Ao desembarcar no Panamá, mesmo que você fique tentado, não compre nos free-shops do Hub das Américas, Aeroporto da Cidade do Panamá e, nem termine a sua viagem, deixando para comprar nele. Essa opção só vale a pena para os viajantes em conexão na cidade, quem vai ficar mais de um dia, faz excelentes negócios nos shoppings e lojas de rua.

Os melhores shoppings e que realmente valem a pena fazer compras na Cidade do Panamá são o Allbrook Mall e o Multiplaza Pacific. Os shoppings fecham às 19h, então pule da cama do hotel cedo e tire um dia de sua viagem à Cidade do Panamá apenas para fazer compras neles. O primeiro, situado próximo ao terminal de ônibus de mesmo nome, é o maior da capital e parece um parque de diversões com direito a carrossel na praça de alimentação. Com lojas de luxo, mas também muitas populares é uma opção bem democrática.

Há também pontos de luxo para compras na Cidade do Panamá

No Multiplaza Pacific, shopping dos panamenhos endinheirados, as lojas de luxo predominam e os preços são mais altos que no Allbrook Mall. Em ambos, o visitante pode fazer, gratuitamente, um cartão de descontos apresentando o passaporte e conseguir de 15% até 20% de desconto nas lojas. Quer se dar melhor ainda? Viajar nos meses de julho ou dezembro, é certeza de encontrar promoções nos shoppings, pois são nesses meses que o 13º é pago aos panamenhos. Pergunte aos vendedores das “rebajas” (promoções) e pechinche sem vergonha de ser consumista.

Não é só em shopping que se compra na Cidade do Panamá. Quem não tem medo de ver a parte mais pobre da cidade, pode fazer ótimos negócios em Los Pueblos, bairro com um centro de compras que é como um grande shopping a céu aberto. Com paciência e pernas para garimpar de lojinha em lojinha você encontra de um tudo: roupas, eletrônicos, brinquedos, celulares, objetos decorativos etc.

Os famosos chapéus Panamá

Outra opção de compras fora do eixo shopping é a movimentada Via España, uma das principais avenidas da cidade. Muitas lojas e galerias vendem cosméticos, eletrônicos, souvenir, artesanatos e os famosos chapéus panamás (estava esperando por ele, certo?). Agora, você que está aí se consumindo e desejando loucamente consumir no Panamá, se segura na cadeira, porque existe outro centro comercial com preços ainda mais em conta (sim, é possível). Onde fica esse paraíso? A Zona Libre de Colón é outro lugar para encher as sacolas e pagar bem pouquinho por isso, porém com uma dose de aventura. Imaginou fazer uma tirolesa entre uma compra e outra? Não é isso. Calma, vou explicar!

Assim, na teoria, a Zona Libre seria um lugar para os comerciantes negociarem mercadorias apenas no atacado e enviar direto para o aeroporto para exportar. Então, não é permitido comprar coisas em pequenas quantidades e não pode entrar com elas no Panamá, porque teria que pagar impostos. É aí que entra a aventura! Muitas lojas dentro de Colón são de comerciantes independentes que vendem no varejo. O truque é comprar e esconder tudo na hora de voltar à Cidade do Panamá. Shiiu, não conta que foi eu que falei!

Um delicioso lado b do Panamá

Ilhas San Blás. Cidade do Panamá

Agora, esqueça o consumo, os shoppings, o trânsito maluco, as pechinchas e os descontos da Cidade do Panamá. Esqueça o capitalismo! Imagine um arquipélago com 360 ilhas (apenas 36 são habitadas) com selvas e praias inacreditáveis banhadas pelo Mar do Caribe. As Ilhas de San Blás estão situadas ao longo da costa norte do Panamá, mas parecem mundos completamente diferentes.

Para visitar as ilhas, não é fácil chegar, não existe o menor luxo, nem se quer existe luz elétrica, mas porque esperar o contrário de uma ilha? Quem vive nas ilhas habitadas, são os Kuna Yala, povos indígenas que recebem em suas rústicas cabanas os turistas e panamenhos que viajam no fim de semana para as ilhas.

Passar um dia, em uma ilhazinha caribenha, dormindo em uma rede, dentro de uma cabana, a pouquíssimos passos do mar, pode parecer um pesadelo para uns. Se para você, assim como para mim, parece um sonho, procure as agências que organizam o passeio, valerá a pena! E digo mais: acho uma experiência de vida! Principalmente pelo contraste de sair de um universo consumista, para experimentar um dia desligado dos bens materiais, apenas com a natureza, em sua mais bela forma (filosofei!).

Desbravando o Panamá

Casco Viejo, Cidade do Panamá

Além do canal, das compras e das ilhas surreais, o Panamá rende aos seus visitantes ainda mais descobertas. Um passeio legal para quem curte cenários naturais é fazer o passeio de lancha pelo lago artificial Gatun, um reservatório criado para conectar os dois oceanos. Durante o trajeto é possível contemplar a floresta preservada, avistar espécies de animais típicos da região, como a preguiça de três dedos, o macaco-prego-de-cara-branca e o bugio da América Central, além de presenciar grandes navios de carga navegando rumo ao outro extremo do Canal do Panamá.

Quem gosta de história, cultura, gastronomia e boêmia, irá se encantar com Casco Viejo, cidade colonial que além de render um passeio agradável por suas centenárias ruas de pedras, oferece uma variedade de cafés ao ar livre, restaurantes com a típica comida panamenha e gastronomia internacional, teatros, casas noturnas que tocam de salsa à música eletrônica e bares com música ao vivo.

Viu só como a Cidade do Panamá vai muito além do canal, das compras e dos famosos chapéus? Olha que se fosse para contar tudo esse artigo viraria um livro. Descubra você mesmo viajando com os pacotes promocionais do Zarpo!



Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *