São Sebastião, nem parece tão perto de São Paulo

São Sebastião, nem parece tão perto de São Paulo

Uma viagem começa no planejamento. Há quem não goste de fazer muitos planos, a ponto de traçar um roteiro com os lugares a visitar no destino. São os viajantes que preferem a surpresa, a sensação de ir rumo ao desconhecido. Para todos os outros, existe a Mag! Quem gosta de começar a viajar pelo destino antes mesmo de desembarcar no próprio, encontra o começo aqui. E é nesta publicação que se inicia a viagem de quem quer descobrir os segredos de São Sebastião.

Encontre hotéis em São Sebastião com descontos especiais nas diárias

O litoral de São Sebastião

As lindas praias de São SebastiãoFoto: Natália Leme

A apenas 200 quilômetros da cidade de São Paulo, o município de São Sebastião exibe cenários que são puro espetáculo para quem sabe dar valor a natureza. Ligados pela avenida Rio-Santos, estão mais de 100 quilômetros de praias, algumas selvagens e quase desconhecidas, e outras que há tempos já se tornaram point dos paulistas no verão, feriados e fins de semana.

As praias são tão lindas que embalam não só os dias quentes dos moradores do estado de São Paulo, mas também de viajantes de outros cantos do Brasil, além de muito gringo que também caiu de encantos pelas paisagens de “San Sebastian”.

Ao longo da costa o viajante pode escolher entre praias calmas, com ondas, badaladas, pouco movimentadas, vazias, urbanas, selvagens, boa para crianças… No litoral de São Sebastião não há quem não encontre a sua praia.

Praias badaladas

Maresias - São Sebastião

Os viajantes que querem agitação podem seguir para Maresias e pegar um lugar nas areias fofas e movimentadas pelas tribos dos surfistas, malhados e bons de bolso. É uma das mais famosas do litoral, pelo agito do público jovem e também por suas ondas.

O movimento também é sempre intenso em Cambury e Camburizinho, sendo muito procuradas pela boa oferta de restaurantes. As paisagens se manteriam na mesma linha (costões esverdeados no contorno, areia fofa, mar claro, calmo em algumas partes e com ondas para os surfistas em outras), mas na divisa das duas praias, além de grandes pedras que reúnem plateias à espera do pôr do sol, desemboca o Rio Cambury, levando ainda mais beleza ao cenário e sendo o palco perfeito para iniciantes de Stand Up Paddle treinarem o equilíbrio na prancha e as primeiras remadas.

O que eu quero? É sossego!

Praia Brava em São SebastiãoFoto: Natália Leme

A calmaria é encontrada na areia, mas não no mar da linda, vazia e selvagem Praia Brava. Para chegar são cerca de 1 hora de caminhada, em ritmo devagar. Primeiro um pouquinho de subida, depois a descida que todo santo (inclusive o Sebastião) ajuda. Ao chegar uma deliciosa surpresa: areia branquinha, vazia, totalmente cercada por mata e um mar azul e por vezes muito bravo. Outra surpresa no canto direito são duas pequenas quedas d’água escondidinhas na mata.

Não há nenhuma estrutura na praia e, se isso é bom para manter a beleza intacta, por outro lado significa que é indispensável levar uma mochila com comida e água. O que dificulta um pouquinho a trilha, mas para quem realmente gosta de praia vazia e até curte uma trilha, o esforço é recompensado com o sossego que não encontraria em nenhuma outra praia do litoral de São Sebastião, vai por mim.

Calhetas, em São SebastiãoFoto: Natália Leme

Outra praia em São Sebastião que entra para a lista das mais lindas é a Calhetas. Com o acesso escondido em um condomínio, por volta do km 144 da Rio-Santos, seus cenários preservados assim se mantêm. Do lado esquerdo pedras e mais pedras tomam conta da areia e da beira do mar, o que dependendo das condições da maré, formam piscinas naturais. Depois de uma colina repleta de coqueiros o lado direito exibe areia clara e um mar verde cristalino e calmo. A praia não tem barracas, beirando a areia só há as belas casas do condomínio, contribuindo com o cenário. A sombra é garantida abaixo das árvores.

Pôr do sol em “Boisussa”

Boiçucanga, em São SebastiãoFoto: Natália Leme

O pôr do sol mais lindo de São Sebastião você encontrará na Praia de Boiçucanga. Cambury também rende um bom espetáculo se subir nas pedras que a separam de Camburizinho, mas em Boisussa (apelido carinhoso que eu dei para Boiçucanga) é muito lindo. O sol se põe com um mergulho no mar, entre as ilhas que apontam no horizonte. A praia com mar de tombo não é das mais bonitas de São Sebastião, mas sempre está movimentada e oferece boa estrutura com restaurantes à beira mar, barraquinhas e às vezes até banana boat para divertir os banhistas.

Logo depois de Calhetas a próxima praia do litoral é Toque Toque Grande. Linda e pouco frequentada! A grande montanha verdejante que lembra um animal deitado completa o cenário. O mar por vezes calmo é ótimo para dar umas braçadas.

O frescor das Cachoeiras de São Sebastião

Ribeirão de Itu, em São SebastiãoFoto: Natália Leme

O litoral de São Sebastião é grande, variado e lindo, mas para quem além dos mergulhos no mar, não abre mão de um banho de cachoeira, escondidas em meio à Mata Atlântica, há deliciosas quedas. Em Boiçucanga, seguindo a Estrada do Cascalho até o fim, começa a trilha para as três quedas da Cachoeira de Ribeirão de Itu.

A primeira é a mais fácil de chegar e oferece uma hidromassagem natural muito bem vinda depois de seguir por meia horinha de trilha. A queda ao fundo é palco para saltos de meninos locais e corajosos que se aventuram. O íngreme caminho que leva a segunda queda requer mais esforço, mas a recompensa vem com o visual de um cânion e uma deliciosa piscina natural. Mais um pouco de subida em meio a barrancos e chega-se a mais volumosa queda.

Cachoeira Calhetas, em São SebastiãoFoto: Natália Leme

Na Cachoeira de Cambury, no Sertão do Cacau, mais quedas são descobertas após uma trilha de cerca de 30 minutos. A primeira é pequena e tem piscina natural, a segunda queda é maior e também conta com uma piscina gostosa e cristalina.

E em São Sebastião tem mais quedas para tirar o sal do corpo após o dia de praia. No meio do caminho dentro do condomínio que leva à Praia de Calhetas você verá uma placa alertando que a cachoeira não é recomendável. A plaquinha da Cachoeira das Calhetas não me intimidou e resolvi conferir a queda que já tinha avistado da colina da praia.

É só seguir uma pequena trilha e caminhar pelas pedras por onde a água desce que chegará ao paredão e sua queda. Uma escaladinha básica com cuidado e é possível curtir o frescor de suas águas sentado nas pedras e revigorar o corpo para a subida de volta a rodovia.

Outro achado de São Sebastião é a Cachoeira de Toque Toque Grande que, situada à beira da rodovia, não requer esforço nenhum e sempre atrai os motoristas que ao passar por ela, estacionam no acostamento para refrescar em suas águas geladinhas.

Na hora que bate a fome

Restaurante Manacá - São SebastiãoFoto: Restaurante Manacá/divulgação

Cambury é a praia que mais se destaca no quesito gastronômico. É nela e em sua vizinha Camburizinho que estão os restaurantes mais cobiçados de São Sebastião. O mais estrelado é o Manacá que, desde 1988, serve o melhor da cozinha de mar, combinando serviço primoroso e um ambiente leve. Construído sobre palafitas, sem paredes e cercados por plantas, o restaurante oferece uma experiência deliciosa, do começo ao fim, da ambientação rústica aos pratos requintados.

Restaurante Acqua - São SebastiãoFoto: Restaurante Acqua/divulgação

O Acqua, também em Cambury, se sobressai pela visão panorâmica para o mar que oferece aos seus comensais. A localização, no topo de uma colina, também é garantia de sossego, perfeito para os casais que buscam um restaurante mais intimista em São Sebastião. Nos jantares a iluminação de velas completa o romantismo.

No cardápio que é um mix da gastronomia italiana, do mar e brasileira, merece destaque o penne com camarão ao molho que mistura tomate, alcachofrinha, pimenta-calabresa, hortelã e raspas de limão-siciliano. Para acompanhar, a adega conta com mais de 300 rótulos de vinhos de diversas regiões do mundo.

Ainda em Cambury a unidade do Cheiro Verde também vale uma parada. O cardápio oferece desde os triviais com preços camaradas aos pratos mais elaborados como o de comer rezando Camarão da Montanha.

Restaurante Sebasthiana - São SebastiãoFoto: Restaurante Sebasthiana/divulgação

Na praia de Boiçucanga o charmoso Sebasthiana é um bar pés na areia que oferece cerveja gelada, drinks, quitutes, refeições e música ao vivo, de qualidade. Dá para curtir o mar com o serviço de praia durante o dia, almoçar uma boa moqueca, beber uma caipora enquanto aprecia o pôr do sol mais lindo do litoral de São Paulo e, depois ainda embalar a noite ao som de MPB.

Creoula - São SebastiãoFoto: Creoula/divulgação

Em Ilhabela o point para bebericar, petiscar e ouvir um som é o Creoula, bar que também tem uma unidade em Juquehy. No endereço da ilha há pista de dança animada por Djs e lounge sushi. Já na outra unidade, o som ao vivo varia de sertanejo, samba, pagode e pop rock. Na badalada Maresias os turistas e locais se reúnem no Santo Gole para ouvir bandas de rock ao vivo, saborear os lanches do cardápio e refrescar com as cervejas e drinks da casa.

São Sebastião - Idaina KamiFoto: Idaina Kami/divulgação

Quem resiste a uma comidinha japonesa? No verão então, não há nada melhor e mais leve que iguarias da culinária oriental, como um temaki ou uma porção de hot holl. Próximo ao centro de São Sebastião, na Praia Porto Grande, o Idaina Kami é uma das melhores opções de japa do litoral de São Paulo. Nele os comensais encontram uma grande variedade de pratos frios e quentes, alimentos sempre fresquinhos, apresentação caprichada e um ambiente aconchegante com jardins e lago com carpas.

Viaje para o litoral norte de São Paulo com as tarifas promocionais do Zarpo



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *