Roteiro com o Melhor da Chapada Diamantina

Engana-se quem pensa que os encantos da Bahia se concentram apenas em seu paradisíaco litoral. Muito pelo contrário, o estado guarda uma das regiões geográficas mais belas do país. Composta por inúmeras cachoeiras, grutas, cânions e mirantes, a Chapada Diamantina exibe uma beleza selvagem, misteriosa e histórica, fascinante aos olhos de quem a explora.

As belezas dos arredores de Andaraí

Cachoeira dos Cristais Waltson Campos/CC BY-SA 

A partir de Mucugê, a 11 km de seu centro histórico, o trecho realizado por carro é feito até a trilha que leva à Cachoeira dos Cristais, a atração turística que abre esse roteiro especial pela Chapada Diamantina. Com quase 2 horas de caminhada pela estrada, o caminho dispõe de outra cachoeira (muito bela por sinal), a Cachoeira das Três Barras I, além de muita fauna típica e peculiar da região. Ao chegar, uma escadaria de mais de 90 metros de altura surpreende os visitantes. No entanto, o que mais encanta é o incrível visual rústico, selvagem e paradisíaco que a queda esbanja.

Andaraí – BA

Dentro do Parque Nacional da Chapada Diamantina, o passeio para o Rio Roncador é feito por carro que vai de Lençóis rumo à Vila do Remanso. Após deixar o veículo, uma canoa desce pelo Rio Antônio e vai até o Rio Roncador. O caminho também pode ser feito de bike ou quadriciclo. Chegando lá, um verdadeiro santuário de piscinas naturais pelos poços rochosos espera os turistas. Além do banho relaxante e refrescante, a paisagem da Chapada Diamantina é algo para ser contemplado também.

Andaraí – BA

CachoeiraImagem ilustrativa

No caminho da trilha de acesso, pinturas rupestres instigam a imaginação sobre a história e antiguidade da Chapada Diamantina. Ao chegar na Cachoeira Invernada, uma queda d’água de 60 metros despenca pelo paredão rochoso, oferecendo um visual encantador e uma piscina natural para banhos revigorantes.

Andaraí – BA

De carro saindo de Itaetê, são 40 minutos até a trilha de fácil acesso. Com duração de aproximadamente 1h30 de caminhada, o caminho leva ao paredão de camadas rochosas que formam a Cachoeira do Bom Jardim. No final da queda de 80 metros, o poço de água arredondado é grande e com profundidades ainda desconhecidas, onde banhos energizantes são garantidos. Há um ponto onde se pode pular, mas essa parte é exclusiva aos corajosos que se aventuram por Chapada Diamantina.

Andaraí – BA

Trilhas onde os destinos finais levam a belos visuais

Rampa do CaimAdelano Lázaro/Domínio público

Saindo da Vila de Igatu e pegando a trilha atrás do campo de futebol, à direita, são 2 horas e meia de caminhada até a Rampa do Caim, um mirante que oferece uma vista incrível de parte da Chapada Diamantina. Durante a trilha, é comum se deparar com tocas de pedras construídas por garimpeiros que hoje servem de ponto de parada aos trilheiros. Ao chegar no ponto final, cânions cobertos pela vegetação nativa, o céu infinito repleto de nuvens e o curso de água lá embaixo formam a paisagem exuberante do lugar.

Igatu – BA

Na vila de Igatu, no coração de Andaraí, uma trilha com 30 minutos de caminhada leva a Cachoeira da Califórnia, uma das atrações mais atraentes da Chapada Diamantina. O caminho conta com as ruínas do antigo bairro Luís dos Santos que também podem ser bastante atrativas. Com 10 metros de queda, a cachoeira surge a partir do encontro de dois paredões rochosos e forma um pequeno e raso poço de água em sua base, ótimo para um banho relaxante.

Igatu – BA

TrilhaImagem ilustrativa

Pela rua principal de Igatu, vire na Rua do Bambolim e é na casa branco o final da trilha, onde fica a entrada da Mina Brejo-Verruga. O nome tem a ver com sua origem, Brejo e Verruga são dois nomes de garimpos que se encontraram por baixo da montanha acidentalmente, ou seja, a Mina Brejo escavava de um lado, e a Mina Verruga, de outro, até que se uniram. Reaberta para receber turistas que visitam a Chapada Diamantina, a visita conta com um trajeto guiado que conta mais detalhes sobre sua história e um salão principal (sob a luz de velas), onde expõe esculturas que representam os garimpeiros falecidos no local.

Igatu – BA

Em Ibicoara, pelo Parque Natural Municipal do Espalhado, 30 minutos de carro é o tempo de duração até o início da trilha para a Cachoeira da Fumacinha, considerada uma das mais belas da Chapada Diamantina. Já no Parque, a entrada só é permitida se acompanhada de um guia credenciado da região. Ao começar a trilha, são 4 horas de uma intensa caminhada que conta com travessias em cânions, poços, lagos, cachoeiras, etc. Ao chegar, todo o esforço exigido durante o caminho é beneficiado com o visual de tirar o fôlego da queda de 100 metros de altura.

Ibicoara – BA

Paisagens selvagens e deslumbrantes

Cachoeira do SossegoJoao Carlos Medau/CC BY 

Feito pela saída de Lençóis, são 8 quilômetros de trilha que pode ser um pouco difícil para quem não está acostumado com caminhos íngremes. Com aproximadamente 3 horas de duração, parte do trecho é pelo leito do Rio Ribeirão. Escondida num vale de cânions, a Cachoeira do Sossego recompensa todo esforço para chegar até ela com uma paisagem encantadora. A queda mede 15 metros de altura e em sua base, um belo poço convida os visitantes para um banho gelado.

Lençóis – BA

No km 92 da BA-142, a sede do Projeto Sempre Viva fica no Parque Municipal de Mucugê, a 3,5 km de Mucugê. A iniciativa foi criada para contar a história da Sempre-Viva (flor típica da Chapada Diamantina que está ameaçada de extinção), desde sua exploração até a preservação. No local é exposto diversas flores, mas o destaque fica por conta do buquê coletado em 1999, intacto e que ainda abre e fecha conforme o clima.

Mucugê – BA

Morro do Pai Inácio

A cerca de 27 quilômetros de Palmeiras, às margens da BR-242, inicia-se a trilha para o Morro do Pai Inácio, um dos atrativos mais tradicionais da Chapada Diamantina. Por ser íngreme, o caminho apresenta um pouco de dificuldade, no entanto, nada que faça desistir de ver a paisagem que espera no topo. Em 1.200 metros de altitude, a vista não poderia ser mais encantadora. Lá de cima, são 360 graus de que descortinam os inúmeros imponentes cânions. O morro é bastante procurado no fim da tarde, quando o sol se põe causando um belo espetáculo da natureza.

Palmeiras – BA

Azul cristalino das grutas: a magia da Chapada Diamantina

Gruta da Pratinha Guimaraes jm0/CC BY-SA

A Fazenda Pratinha, em Iraquara, se transformou em balneário por conta das belezas majestosas de suas terras e agora atrai os turistas que se aventuram pela Chapada Diamantina. É nela que fica a Gruta da Pratinha e a Gruta Azul (que vai ser apresentada logo abaixo), duas beldades da região. A Gruta da Pratinha é banhada por águas azuis transparentes que podem ser apreciadas com o mergulho em forma de flutuação, onde é possível observar os peixes e as formações rochosas com o auxílio de lanterna. No final, um imenso lago de águas azuis cristalinas fica à espera para um delicioso banho relaxante.

Iraquara – BA

Na Fazenda Pratinha, entre as 14h e 15h (de abril a setembro), tons azulados tomam conta do lago translúcido que inunda a Gruta Azul, graças ao feixe de sol que invade a abertura da rocha. Com profundidade de 70 metros, essa é uma das grutas que mais chamam a atenção pela Chapada Diamantina. Embora seja proibido o banho e mergulho, a visita nesse lugar mágico é imprescindível, além de render altas fotos incríveis.

Iraquara – BA

Poço EncantadoGabriel P. Silva/CC BY-SA 

Dirigindo até as margens do rio Paraguaçu, uma pequena caminhada (cerca de 5 minutos) leva até o Poço Encantado, uma caverna da Chapada Diamantina tão linda quanto a Gruta Azul. Com 110 metros de comprimento, 70 de largura e cerca de 60 metros de profundidade, as águas dessa divindade são tão cristalinas que chega a ser difícil perceber onde o meio aquático se inicia.

Itaetê – BA

No mesmo caminho para o Poço Encantando, assim que o carro é estacionado nas margens do rio Paraguaçu, cruza-se o curso de água de barco e da encosta, são 10 minutos de caminhada até o Poço Azul, a caverna alagada com águas cristalinas. O lugar que possibilita mergulho e flutuação, combina a transparência da água, o reflexo azul do céu e mais de 20 metros de profundidade. Assim como a Gruta Azul, esse poço também recebe os raios solares que emanam ainda mais transparência às águas, por volta de 12h30 até 14h30.

Nova Redenção – BA

Pela BA-052 (conhecida também por Estrada do Feijão), mais especificamente no km 254, encontra-se a trilha que leva até a Cachoeira do Ferro Doido, mais uma das grandes riquezas de Chapada Diamantina. Em um imenso cânion que ultrapassa os 100 metros de altura, são 4 fortes quedas d’água que despencam sobre a base rochosa e vai de encontro com o Rio Jacuípe. Um verdadeiro espetáculo raro que retrata a beleza selvagem da região.

Morro do Chapéu – BA

Gruta dos BrejõesCesar Monteiro/CC BY-SA 

Somente através de uma 4×4 e acompanhado de um guia de turismo local, o acesso a segunda maior boca de caverna do Brasil começa na BA-426. Com 7.750 metros de extensão, a Gruta dos Brejões é uma das maiores atrações da Chapada Diamantina, principalmente para os romeiros, por conta de sua conotação religiosa. Na caverna é possível conferir cascatas de pedras, cortinas, colunas, clarabóias, galerias, lagos e trechos do Rio Jacaré, além de várias espécies da fauna local.

São Gabriel – BA



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *